Arma Zen do Brito: Tricordiano 1 X 1 BOA-Varginha: política e esporte

Tristes os tempos em que os homens lutavam contra leões nas arenas, foi uma época não conheceu a glória pelo empate. Com este resultado nada burocrático, testemunhado por duas torcidas emocionadas que reviraram as entranhas até o último minuto do jogo, o Boa-Varginha conseguiu a vaga na primeira divisão do campeonato mineiro em cima do Tricordiano. Foi um épico regional político e esportivo.

Ouvi a partida pela Rádio Educativa, de Três Corações. Narrador, repórter, três vereadores, um eminente futuro candidato e o vice-prefeito conduziram a transmissão, personalidades inusitadas para o universo esportivo, mas que logo mostram a que vieram. “Parabéns pelo dia do trabalhador para os meus colegas, porque antes de sermos políticos, fomos também trabalhadores.” patacou Sérgio Auad, o vice-prefeito, antes do início da partida. Quando o repórter se entusiasmou, agora “nosso grande Altair Nogueira!…”, nós torcedores soubemos que era consenso entre prefeito e vereadores apoiar a equipe tricordiana no que fosse preciso em sua epopéia na primeira divisão do campeonato mineiro. Bastava vencer a partida.
Enquanto isso, a poucos metros dali, no terreno onde deverá ser construído o Museu Casa do Pelé, um gato preto tomava sol e bocejava pensando no prazo final para a próxima fase desse projeto: último dia de maio. A licitação para a construção do museu será feita no dia dezesseis próximo. Que tudo corra bem, pois se for preciso repetir o processo não haverá tempo hábil para uma nova licitação, o projeto estará perdido. No Elias Arbex uma pesada bateria de fogos anunciou a entrada dos times em campo, e espantou o gato.
Quando a bola finalmente rolou, com meia hora de atraso, por cerca de quatro minutos não se ouviu notícias do campo. O vice-prefeito falava novamente, agora sobre a paz no esporte, ao que seguiram outros chavões, clichês e demais astúcias decoradas. Falas vazias que convidavam os ouvintes a procurar outras estações para acompanhar o jogo.
Partida empatada em campo, a classificação foi mérito de um modelo de gestão. Boa-Varginha é um projeto intermunicipal, com capital humano de Ituiutaba-MG e estrutura física varginhense. O Tricordiano foi uma realização da diretoria do clube que deu certo, apesar de enfrentar o apoio de um modelo político já embolorado pelo tempo, herdeiro de tradições da primeira metade do século passado.
Na manhã de hoje Varginha realiza hoje uma consulta pública sobre a Copa de 2014, enquanto em Três Corações tudo é púlpito para pequenos sonhos eleitoreiros. (Por Lelo de Brito)

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Arma Zen do Brito

Uma resposta para “Arma Zen do Brito: Tricordiano 1 X 1 BOA-Varginha: política e esporte

  1. Brito, parabéns pela sua coluna. Você consegue deixar a narrativa envolvente com um toque de humor bem sutil. Um dia eu chego lá… Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s